segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Feliz Ano Novo

 shutterstock_1930329

"(...) Hoje é o último dia do ano. Em todo o mundo que este calendário rege andam as pessoas entretidas a debater consigo mesmas as boas ações que tencionam praticar no ano que entra, jurando que vão ser retas, justas e equânimes, que da sua emendada boca não voltará a sair uma palavra má, uma mentira, uma insídia, ainda que as merecesse os inimigos, claro que é das pessoas vulgares que estamos falando, as outras, as de excepção, as incomuns, regulam-se por razões suas próprias para serem e fazerem o contrário sempre que lhes apeteça ou aproveite, essas são as que não se deixam iludir, chegam a rir-se de nós e das boas intenções que mostramos, mas, enfim, vamos aprendendo com a experiência, logo nos primeiros dias de Janeiro teremos esquecido metade do que havíamos prometido, e, tendo esquecido tanto, não há realmente motivo para cumprir o resto, é como um castelo de cartas, se já lhe faltam as obras superiores, melhor é que caia tudo e se confundam os naipes. Por isso é duvidoso ter-se despedido Cristo da vida com as palavras da escritura, as de Mateus e Marcos, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste, ou as de Lucas, Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito, ou as de João, Tudo está cumprido, o que Cristo disse foi, palavras de honra, qualquer pessoa popular sabe que é esta a verdade, Adeus, mundo, cada vez pior. Mas os deuses de Ricardo Reis são outros, silenciosas entidades que nos olham indiferentes, para quem o mal e o bem são menos que palavras, por as não dizerem eles nunca, e como as diriam, se mesmo entre o bem o mal não sabem distinguir, indo como nós vamos no rio das coisas, só deles distintos porque lhe chamamos deuses e às vezes acreditamos. Esta lição nos foi dada para que não nos afadiguemos a jurar novas e melhores intenções para o ano que vem, por elas não nos julgarão os deuses, pelas obras também não, só juízes humanos ousam julgar, os deuses nunca, porque se supõe saberem tudo, salvo se tudo isso é falso, se justamente a verdade última dos deuses é nada saberem, se justamente não é sua ocupação única esquecerem em cada momento o que em cada momento lhes vão ensinando os atos dos homens, os bons como os maus, iguais derradeiramente para os deuses, porque inúteis lhes são. Não digamos, Amanhã farei, porque o mais certo é estarmos cansados amanhã, digamos antes, Depois de amanhã, sempre teremos um dia de intervalo para mudar de opinião e projeto, porém ainda mais prudente seria dizer, Um dia decidirei quando será o dia de dizer depois de amanhã, e talvez nem seja preciso, se a morte definidora vier antes desobrigar-me do compromisso, que essa, sim, é a pior coisa do mundo, o compromisso, liberdade que a nós próprios negámos.(...)"

Saramago, José; in O Ano da Morte de Ricardo Reis. São Paulo: Companhia das Letras, 1988 - pag. 55/56

7 comentários:

José María Souza Costa disse...

Parabens pelo blogue e pelo conteudo
Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Tempo Agradável, Harmonioso e com Sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito Simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Se tiveres tuiter, e desejar, é só deixar que agente segue.
Um abraço e fique com DEUS.

http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Lívia Inácio disse...

Meninaa!

que saudade tbm!

Como vc tá?

Sério? rsrs
Não creio!
Que legal!

Olha,me add no msn... Daí qudo vc sumir do blog a gente não fica tanto tempo sem se falar,né?É livia.inacio@hotmail.com

beijinho e tenha um lindo 2011!

Nilce disse...

Oi Mi

Perfeito este texto Mi.
Não sou de fazer listas do que pretendo fazer durante o novo ano. Procuro terminar o que não fiz no ano anterior e deixo que os planos surjam.
Estava com saudades daqui.

Bjs no coração!

Nilce

Lupo disse...

Ah Saramago! Que pena que ele já se livrou da sua pseudo liberdade!

Nas suas palavras grito que estou farto do ontem e cansado do amanhã! Hoje é hoje, e este momento nem a eternidade pagaria!

Vou parar de fumar! Quanto? Ahhh! Agora! Daqui a 5 minutos eu fumo de novo, e terei cumprido minha promessa daquele instante!

Sou livre! Mas agora vou lá no banheiro para não ter que usar minha liberdade limpando o chão da sala.

Tonto. Sou eu!

Bjão Michelle! Tava morrendo de sdd de você! E ótima escolha para o post.

Flor de Lótus disse...

Oi,Mi!Td bem?Belo texto este do Saramago, o ano inicia e nós fazemos mil promessas que sabemos uqe não cumpriremos, por isso eu nem me dei ao trabalho de fazer lista de promessas etc e tal.
Um ótimo começo de semana!
Beijosss

Corina de Oliveira disse...

Adorei o design do teu blog :) e fantástica citação!

Gostaria de te desejar um excelente fim-de-semana! :D

Beijocas *

Corina de Oliveira disse...

Vem votar na minha sondagem n' O Meu Reino da Noite! (no lado direito, abaixo do perfil)

Beijinhos e tem uma excelente semana *

Postar um comentário